Meu Perfil
BRASIL, Homem, de 26 a 35 anos, Livros, Música, comida e bebida
MSN - ale.cimatti@hotmail.com



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Poema


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 NAVEGADOR ERRANTE D'OUTROS MARES
 ESQUISITICES À PARTE (ou poema mudo)
 PEQUENO LIVRO DO VINHO FORTE
 folhas litrárias
 poeta moraes
 Poesia... Poesia
 Chacal
 Pueril
 Cristiane Lisbôa
 Sobejando (arícia)
 arte gaia
 joca faria
 gaveta literária
 grande lua branca (profa. érika)
 josé saramago
 marcelo rubens paiva
 chico sá
 Rodolfo Garcia Vasquez
 ação cultural da periferia
 Confraria do Coreto
 b . i . p . c u l t u r a l
 laerte
 angeli
 caco galhardo
 Blog do Iturrusgarai
 diário de pernambuco
 zero hora
 o globo
 folha
 estadão
 cult
 literatura
 super interessante
 piauí
 caros amigos
 REVISTA EDUCAÇÃO
 REVISTA DO PROFESSOR
 aplauso
 folosofia
 história
 diario de taubaté TV
 jornal de poesia


 
Blog do cimatti




Escrito por alexandre cimatti às 20h00
[] [envie esta mensagem] []



 
 

Serenata de Saudade

 

 

 

 

Ainda você, minha flor do amanhecer,

Que saboreava cada verso meu,

Como se, dali, chegasse ao apogeu

Da felicidade em teu alvorecer.

 

Ainda você, meu sol a florescer,

Que se lamentava a cada avesso teu,

Como se eu fosse uma luz em teu liceu,

Como o breu viesse eu a converter.

 

Ainda, em cada serenata de amor,

Você, que não se acostuma à ira, à dor

De saber um mar sem rima ou remador.

 

 



Categoria: Poema
Escrito por alexandre cimatti às 21h13
[] [envie esta mensagem] []



 

 

 



Escrito por alexandre cimatti às 15h02
[] [envie esta mensagem] []



 
 

É DE VERDADE (Cantiga do tempo)

 


 

 

 

A gente, no verão,

É de ver.

E a gente, no inverno,

É de inverter:

De inventar de verdade.

De verter...  de ventar...

Sem dever, a primavera verá,

No devir, o outono de outro não.

Outro, então, há de vir,

No verão

Que a gente vê.



Categoria: Poema
Escrito por alexandre cimatti às 11h55
[] [envie esta mensagem] []



 
 

UM POEMA FACIN’


 

Facin’, facin’;

Tem que ser assim

- Fazer assim –

Senão Ceci rejeita Peri.

Se não for assim,

Meu bem nem olha pra mim.

 

Facin,’ facin’;

Tem que ter versin’:

versando sim,

Tocando a lira com tom em mi.

Se não versar assim,

Ninguém nem olha pra mim.

 

Flor de margarida,

Que se demora na partida,

A longa vida te chama à lida,

Mas, tão logo acabe essa batida,

Me cumpra a volta prometida

Como se eu fosse o fim da corrida,

Como se eu fosse tua alma perdida,

Pois já sou batalha vencida.

 

 

E, facin’, facin’,

Fiz um versin’

Pensando em si;

Sem saber de mim.

 



Categoria: Poema
Escrito por alexandre cimatti às 17h36
[] [envie esta mensagem] []



 
 

LUDMILA


 

 

 

Ludmila,

Quanta cantoria...

Muita melodia

Em tão vago olhar,

Onde me disperso,

Quando me despeço.

 

Uma vaga em teu olhar

É uma placa a iluminar

Metade do caminho.

 A outra nem Deus sabe,

Porque não houve.

 

Por que não ouvem,

Ainda ouço.

Porque não houve,

Ainda pouso.

Ainda posso.

Ainda possuo asas de postar poesia.

...quanta cantoria,

Ludmila,

Melodia em teu olhar.

 

 Vagueio nas vagas do tempo

E tapeio o pensamento que me aparta de lá,

Que me aperta em mim:

Em mim ainda é o vago olhar;

Não de ressaca:

Só ressentimento em mim.

Ludmila,

Quarto fátuo e ressentimento

Em mim;

Lua parca e desistimento

Em ti.

 

 


 

 

 



Categoria: Poema
Escrito por alexandre cimatti às 17h56
[] [envie esta mensagem] []




 

 

Sou planta seca

Seca de tanta água que tive

Seca de tanta chuva que tem

E tanta seca retém

Sou tanto acerca

Sou quanto a cerca e ninguém

Sou planta e cerca que vive

Sou planta... e seca que vem


 



Escrito por alexandre cimatti às 22h11
[] [envie esta mensagem] []



 

Não se pode parar

A poesia pinta

E eu não posso pintar

 

Não se pode esperar

Mais um ponto aponta

E eu não posso aprontar

 

Não se pode emperrar

Nosso peito aperta

E eu não posso imperar

 

Nosso tempo, há tempos,

Ninguém pode parar

 

 



Escrito por alexandre cimatti às 21h39
[] [envie esta mensagem] []



AINDA

farta

muita coisa

nessa mesa

farta

Miniatura


Escrito por alexandre cimatti às 09h01
[] [envie esta mensagem] []



DAIQUIRI

 

 

 

http://blogdogalhardo.zip.net/



Escrito por alexandre cimatti às 17h51
[] [envie esta mensagem] []



DAIQUIRI

 

 

CACO GALHARDO

 

 

 

http://blogdogalhardo.zip.net/



Escrito por alexandre cimatti às 10h55
[] [envie esta mensagem] []



ATÉ QUANDO!!??

 

 

 



Escrito por alexandre cimatti às 11h08
[] [envie esta mensagem] []



PASTEL

.

.

.

.

.

Um poeta, sem poesia,

para na pastelaria...

não quer pastel,

mas pede mesmo assim:

.

(É pra viagem)

.

- Palmito, por favor!

- Vai demorar, meu senhor.

- Não tem problema.

(É uma casa vazia que me espera)

.

Um poeta, na pastelaria,

não quer pastel:

quer poesia.



Escrito por alexandre cimatti às 10h48
[] [envie esta mensagem] []



mais um dia

e essa comida engolida

em vez da comida comida

mas um dia...


comeremos alegria



Escrito por alexandre cimatti às 17h41
[] [envie esta mensagem] []



high cai

 

 

 

tempo estreito

quando o tempo era largo

tudo era perfeito

 

 



Escrito por alexandre cimatti às 19h10
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]